conecte-se conosco


Mato Grosso

“A grande maioria das empresas inova por inovar”, afirma palestrante

Publicado

Durante palestra em Cuiabá, a engenheira civil que liderou o primeiro acelerador de startups construtech do Brasil, Gláucia Alves, afirmou, que a maioria das empresas acaba inovando sem saber ao certo se terão resultado efetivo com a ação. Segundo ela, muitas vezes, a empresa chama de inovação algo que não gera resultado e que, portanto, não pode ter essa denominação.  

“A grande maioria das empresas inova por inovar. O que vemos é que o termo “inovar” virou moda. Colocar puffs coloridos na empresa, por exemplo, não é inovação, pois não gera valor. Quando se mede o resultado da ação constata-se que não houve resultado e isso tira a credibilidade da palavra, do entendimento real do que deveria ser”, esclareceu ela, que atualmente é diretora de Inovação da Delloite Brasil.

Ela também mencionou que, no ranking mundial de inovadores, divulgado pelo Global Innovation Index 2018, o Brasil configura no 64º lugar, atrás de países como Chile, Colômbia, Uruguai, México e Costa Rica. A liderança mundial é da Suíça. O índice é formado a partir de dados de pesquisa, registro de marcas e patentes, capital humano e sofisticação de mercado, entre outros fatores. 

“O Brasil é um mau inovador. Investe em inovação, mas não consegue gerar valor proporcional. Se a empresa não fomenta novas idéias, não fomenta experimentação e não entende que o erro faz parte do aprendizado, dificilmente terá uma cultura inovadora. O erro é necessário, pois se você não está errando, significa que não está inovando o suficiente”, acrescentou.

Leia mais:  Escolas de Rondonópolis e Guiratinga são contempladas com kits

Para o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Nilton Borgato, que assistiu a palestra durante o evento ‘Building 19’, em Cuiabá, a inovação vai além da tecnologia e o governo do estado está empenhado em contribuir para estimular essa cultura no estado. Segundo ele, um dos principais investimentos do governo é a construção do Parque Tecnológico Mato Grosso.

“O empreendimento já é considerado o maior projeto estratégico para o desenvolvimento da inovação no Estado. Com o parque, as indústrias da inovação terão a possibilidade de nascer, crescer e agregar valor a outros setores econômicos. Queremos atrair empresas de base tecnológica, fomentar o empreendedorismo e a criação de startups”, afirmou ele. 

Durante o evento, o coordenador do Parque Tecnológico MT, Rogério Nunes, apresentou a palestra ‘Ambientes de Inovação’ e destacou que, para a projeção de uma ação inovadora, é necessário que ambientes de inovação sejam estruturados no estado. “Dessa forma, será possível contribuir para uma inovação verdadeiramente efetiva, que permita ao empreendedor inovar com propósito de alcançar resultados em sua empresa por meio da ciência, da tecnologia e da inovação”, garantiu.

BUILDING 19 


O evento, que encerrará amanhã (17), tem como objetivo discutir inovação, tecnologia e empreendedorismo nas cidades e na indústria da construção civil. Uma série de palestras com especialistas de todo o país estão sendo apresentadas, além de cases e soluções de inovação e tecnologia. 
 
Promovido pelo HCG, o evento conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional, Univag, Fiemt, Senai, Fenabrave, Archdaily, Deloitte, Trimble, CBCA e CEBIC.

Leia mais:  Policiais militares recebem homenagem por atos de salvamento e prestação de serviço

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Ação Social

Mãe de adolescente que teve 60% do corpo queimado em fogão improvisado pede ajuda para arrumar emprego

Publicado

O adolescente, Carlos Eduardo V. da Silva de 15 anos, que teve cerca de 60% do corpo queimado em um acidente doméstico no início do mês de julho, ao tentar acender um fogão improvisado, recebeu alta médica na última terça-feira (14) e se recupera em casa, no Bairro Vila Esmeralda em Tangará da Serra.

O adolescente teria se queimado enquanto tentava ascender a chama do fogareiro. Foto: TVCA

No dia 09 de junho, Carlos Eduardo e o irmão tentavam ascender o fogareiro com álcool, quando houve uma explosão e ele acabou atingido pelas chamas. Sofreu lesões nas pernas, abdômen e no braço direito. Por 40 dias permaneceu internado no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), ala do Pronto-Socorro de Cuiabá. A equipe médica constatou queimaduras de 1º grau, com vermelhidão da pele e de 2º grau em algumas regiões específicas, com formação de bolhas, e o adolescente foi submetido a duas cirurgias de enxerto na perna.

Eduardo passou por duas cirurgias de enxerto de pele na perna.

Apesar de já ter superado a pior parte do tratamento, outra preocupação entristece a família de Eduardo; os gastos com os materiais de cuidados especiais e higiene pessoal  como lenços umedecidos, sabonetes antibactericidas, e ainda, malhas compressivas para queimaduras, que são meias pós cirurgia específicas para tratamento de queimaduras. Os produtos são caros e os pais de Eduardo não conseguem cobrir as despesas. Estão desempregados e a única fonte de renda é o benefício do Bolsa Família de R$200.

Na quitinete de três cômodos, moram cinco pessoas. Durante a recuperação de Eduardo,  muita gente ajudou doando mantimentos e móveis à família. Agora, o que a mãe de Eduardo deseja é conseguir emprego para ela, o filho mais velho, de 18 anos e o marido. “Nós precisamos trabalhar. Eu, meu marido e meu filho temos saúde e força de vontade para trabalhar só precisamos de oportunidade. Qualquer emprego que aparecer será muito importante pra nós. Agradecemos de coração todas as doações, o povo ajudou bastante a nossa família, e agora, nós precisamos com urgência é de trabalhar”, suplica Rosineide Vieira da Silva.


Em vez de doações, família pede emprego para poder arcar com as despesas do tratamento de Eduardo.

Caso alguém possa oferecer oportunidade de trabalho à família, entre em contato pelo Fone: (65)9.93489235, ou diretamente no endereço: Rua 16, nº 511 – W, Bairro Vila Esmeralda, Tangará da Serra.

Leia mais:  Policiais militares recebem homenagem por atos de salvamento e prestação de serviço

Comentários Facebook
Continue lendo

Educação

Unemat Campus Tangará da Serra abre inscrições para 128 auxílios entre moradia e alimentação

Publicado

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) lançou o edital que oferta Auxílios Moradia e Auxílios Alimentação aos alunos de baixa renda. As inscrições iniciam amanhã, quarta-feira (21) e encerram no dia 3 de setembro. O benefício é de R$ 280 para Auxílio Moradia e R$ 200 para Auxílio Alimentação. Ao todo serão ofertados 952 auxílios com vigência de três meses, sendo 476 Auxílios Alimentação e 476 Auxílios Moradia.

O edital pode ser acessado clicando aqui.

No primeiro edital deste ano, foram oferecidos 770 auxílios, elevando o número total de auxílios de 970 em 2018 para 1.172 em 2019, um aumento de 772 auxílios. “Os auxílios são distribuídos proporcionalmente ao número de alunos matriculados nos cursos dos câmpus, com a finalidade de contribuir para a permanência dos estudantes na graduação”, disse a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Antônia Alves Pereira.

A novidade este ano é que as Modalidades Diferenciadas também participarão. “Neste edital, estamos contemplando os cursos de Modalidades Diferenciadas, atendendo a uma solicitação dos estudantes”, explica a pró-reitora. O auxílio é exclusivo para os alunos com comprovada vulnerabilidade socioeconômica dos cursos de graduação presenciais da Instituição, nos câmpus e núcleos pedagógicos que acompanham o calendário acadêmico oficial.

Os candidatos podem concorre aos dois auxílios, desde que não possuam qualquer outra modalidade de bolsa ou estágio remunerado oferecido pela Unemat ou agências externas de fomento.  Os alunos que já possuam alguma bolsa poderão concorrer a apenas uma modalidade, Moradia ou Alimentação. Entre as exigências para concorrer aos auxílios estão não ter concluído outro curso de graduação, possuir renda per capita familiar mensal de até um salário mínimo e meio e não possuir vínculo empregatício.

O Câmpus de Tangará da Serra, oferece 128 auxílios.

Para o Auxílio Moradia ainda é exigido não residir em moradia estudantil, comprovar despesas com moradia na cidade onde estuda e ser de família residente ou domiciliada em município diferente do câmpus onde está matriculado, ou ainda residir em área rural, podendo ser no mesmo município, desde que não haja acesso por transporte coletivo.

Leia mais:  Tangará da Serra deverá receber R$ 2,4 mi do FEX até final do mês

As inscrições devem ser feitas de amanhã (21) até o dia 3 de setembro, com o preenchimento do Formulário Socioeconômico no site da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), que pode ser acessado clicando aqui.

Os candidatos passarão por três etapas de seleção: o preenchimento do formulário socioeconômico, análise de documentação comprobatória e entrevista. A banca de seleção será composta por três avaliadores, sendo um do segmento discente.

O resultado final será divulgado no dia 25 de setembro. A listagem será publicada de acordo com as vagas oferecidas para cada câmpus, ordenados em sequência decrescente de pontuação. Os alunos que obtiverem resultado ‘Aprovado’ serão convocados. Os que obtiverem resultado ‘Classificado’ comporão o cadastro de reserva em cada câmpus. Serão desclassificados os candidatos que não atendam às exigências do Edital.

Todos os editais, anexos e resultados referente ao processo de seleção podem ser acessados clicando aqui.

 

 

Câmpus de Tangará da Serra     128 auxílios (64 de cada)

Núcleo de Água Boa                      6 auxílios (3 de cada)

Núcleo de Aripuanã                       6 auxílios (3 de cada)

Núcleo de Campos de Júlio        4 auxílios (2 de cada)

Núcleo de Comodoro                   2 auxílios (1 de cada)

Núcleo de Cuiabá                           4 auxílios (2 de cada)

Núcleo de Itiquira                           4 auxílios (2 de cada)

Núcleo de Lucas do Rio Verde   4 auxílios (2 de cada)

Leia mais:  Novas regras sobre portabilidade estão em vigor

Núcleo de Marcelândia                4 auxílios (2 de cada)

Núcleo de Rondonópolis             12 auxílios (6 de cada)

Núcleo de Vila Rica                         8 auxílios (4 de cada)


 

 

 

Fonte: UNEMAT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana