Política

09/04/2018 10:47

Roberto França lamenta abandono de seu legado político e dá conselho a atual prefeito

“Este aqui é o livro de quando eu saí da Prefeitura, um resumo das mil obras que nós fizemos. Esse aqui, infelizmente, não existe mais”, lamenta o ex-prefeito de Cuiabá, Roberto França (PSDB), apontando para o antigo prédio do Centro de Reabilitação para dependentes químicos da Capital, que era localizado na estrada da Guia. “Hoje o filho do pobre que é drogado não tem onde tratar. Chegamos a ter 22 pessoas internadas lá, acabaram com ele, como acabaram com muita coisa”, reforçou.


Na semana em que Cuiabá completa 299 anos, França conversou com o Olhar Direto e, quatorze anos depois de deixar o Alencastro, criticou o fato de seus sucessores terem abandonado alguns de seus projetos. Mas, ao mesmo tempo, comemorou a continuidade de iniciativas como o ‘Siminina’ e o ‘Bom de Bola, Bom de Escola’, que vem sendo resgatado pelo atual prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

Aliás, foi para Pinheiro o principal recado que Roberto França deixou, durante a entrevista: “não se faz política só com festa”, alfinetou, fazendo questão de destacar que os eventos promovidos pela Prefeitura são feitos com recursos da iniciativa privada.

“Esse modelo de parceria [público-privada] ele poderia também estender para determinadas obras do município. Por que não fazer parcerias para que as empresas assumissem, cada uma, um dos mini-estádios, e recuperá-los?”, sugeriu.

Roberto França, que é jornalista, foi prefeito de Cuiabá entre 1997 e 2004. Ele começou sua carreira política nos anos 70, quando elegeu-se vereador em Cuiabá e presidiu a Câmara Municipal. Exerceu quatro mandatos de deputado estadual (1981 a 1994), ocupando os cargos de presidente e primeiro-secretário da Assembléia Legislativa. Ele também foi deputado federal, no período de 1995 a 1996, e vice-líder do PSDB na Câmara Federal.

Ele foi o prefeito com maior longevidade à frente do Palácio Alencastro – oito anos de mandato ou 98 meses ininterruptos.  Depois dele, quem mais governou – pela ordem – foi Frederico Campos, seguido por Wilson Santos e Dante Martins de Oliveira (in memorian). Mas, apesar do currículo respeitável, França garante que deu adeus à vida pública.

“Eu acho que já passou a minha época. O cavalo já passou arriado, na época eu não montei, agora não consigo nem pegar no rabo dele”, brincou.

300 anos de Cuiabá

O ex-prefeito avaliou ainda a capacidade de Emanuel Pinheiro conseguir realizar o pacote de obras anunciados para os 300 anos de Cuiabá. Entre os principais projetos estão a construção de um viaduto na rotatória da Ponte Sérgio Motta, que será construído na avenida Beira Rio; uma trincheira no encontro das avenidas das Torres e Itália; e uma das obras mais ambiciosas, o denominado contorno leste.

“Tudo, eu acho difícil. Mas se ele conseguir viabilizar recursos as principais obras podem sair do papel. São três obras [citadas acima] importantíssimas. Na minha opinião, se ele conseguir estas já terá sido um grande feito”, avaliou.

Relembre quais são as obras previstas para os 300 anos da Capital, comemorado no próximo ano.


Bem Notícias

Diretor Geral
Zied Coutinho

Titulo fixo

Facebook

Bem Notícias - © Copyright - 2016 - Todos os direitos reservados

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo